A área de Recursos Humanos, atualmente mais conhecida como Gestão de Pessoas, é a área da organização que se dividi em diversas outras áreas, podendo citar, recrutamento e seleção, benefícios, cargos e salários, segurança do trabalho, treinamento e desenvolvimento, entre outros.

Com as constantes mudanças de mercado e na gestão de pessoas, observou-se uma evolução na área de recursos humanos, passando de mera função de emissão da folha de pagamento e de planilhas de definição de cargos e salários, para treinar, capacitar, motivar e buscar cada vez mais qualidade de vida profissional e pessoal para os colaboradores, com o intuito de atingir as metas e objetivos da organização, porém, não esquecendo a peça chave que faz o resultado acontecer: as Pessoas.

Com a preocupação constante do bem-estar e da satisfação do colaborador juntamente com os resultados positivos na organização, surge à figura da Gestão por Competência.

Gestão por Competência, conforme Novaes (2015), “não é simplesmente uma forma de administrar, mas um meio muito eficaz de desenvolvimento de talentos nas empresas. Através dela podemos orientar as ações das pessoas no intuito de se construir uma organização eficaz, ou seja, aquela que atinge as suas metas e seus objetivos traçados”.

As competências podem ser humanas, quando estão relacionadas com o indivíduo ou organizacionais quando tem relação com a empresa e são pontuadas de acordo com o Planejamento Estratégico da empresa, e com isto pode-se ter a certeza de que o conjunto de competências profissionais de um colaborador sustenta a competência organizacional, assim, não haverá competência organizacional se não tiver primeiramente a competência profissional.

Não é novidade, portanto, que há muito tempo existe a preocupação das empresas em ter os seus talentos preparados para desempenhar com eficiência suas habilidades. Assim, quando a empresa desenvolve o Perfil de Competências individuais para cada função, ela está deixando claro o que espera do colaborador quanto ao seu comportamento, postura, habilidades e conhecimentos que este precisa “possuir” para que o trabalho seja realizado com excelência.
Novaes (2015) destaca que,

Três categorias de competências individuais são valorizadas e desenvolvidas contribuindo de maneira significativa para a formação das competências organizacionais: competências pessoais, competências técnicas e competências gerenciais. Ao definir as competências individuais existentes na empresa, pode-se também definir a principal competência da organização como um todo. Uma empresa só pode ter uma competência organizacional, obviamente, se seus profissionais apresentarem esta mesma competência. O modelo de gestão por competência deve iniciar a partir da definição dos objetivos estratégicos da empresa com base em sua principal competência. Alguns fatores relevantes não devem ser negligenciados na definição dos objetivos, tais como: missão, visão e valores. O perfil de competências é um fator determinante no processo de alinhar as competências individuais com os objetivos estratégicos da empresa. Uma empresa que não possui uma gestão clara e definida poderá se confundir e perder tempo desnecessário sem conseguir estabelecer metas e objetivos claros, e ao mesmo tempo, sem utilizar a máxima potencialidade de cada profissional, e poderá ter profissionais atuando em direção oposta aos objetivos da empresa. A implantação de um processo de gestão por competências demanda investimento de tempo e recursos em treinamento.

Assim, o treinamento é um meio de desenvolver as competências individuais das pessoas, para que busquem maior produtividade, sejam mais criativas e inovadoras, contribuindo assim para alcançar os objetivos da empresa e também desenvolvimento pessoal. Mas, além do treinamento, também há o desenvolvimento de pessoas, onde gera benefícios futuros, criando alternativas para novos cargos e novas habilidades dentro da empresa.

Novaes (2015) descreve ainda que, o desenvolvimento de competências tem a perspectiva de desenvolvimento contínuo e crescimento na empresa, e o treinamento por competências se fundamenta no mapeamento das competências essenciais ao sucesso da organização, sendo necessário definir de forma clara todas as competências, para que todos entendam.

Portanto, entende-se que, quando a Gestão por Competências é aplicada de forma correta, desenvolve-se colaboradores mais engajados e produtivos com competências alinhadas com as que a empresa “precisa”, trazendo melhores resultados para a organização e de forma mais ágil.

Referências:

Disponível em: https://www.rhportal.com.br/artigos-rh/gesto-por-competncias/. Gestão por Competência, Você Sabe o Que É? Por: Dany Novaes. (2015).

https://blog.solides.com.br/conheca-o-modelo-de-gestao-por-competencias/. Conheça o Modelo de Gestão por Competência. (2019).

        

© 2019 por Puxavante

PHMP Advogados OAB/SC 1.029

logo-footer

47 3084 4100

Rua Olívio Domingos Brugnago, 125

Vila Nova - CEP 89.259-260 - Jaraguá do Sul - SC