Com o mercado em constantes mudanças e transformações, as empresas precisam acompanhar essa evolução para não perder seu espaço, já que “todos” querem produtos e serviços que sejam eficientes e inovadores.

Atualmente a inovação não é mais um diferencial, mas sim, uma necessidade que precisa ser desenvolvida dentro das organizações para que as mesmas continuem competitivas.

Inovação no ambiente corporativo, nada mais é do que uma ideia (criatividade) implantada e que pode ser explorada, ou seja, essa “ideia” necessariamente deverá gerar algum retorno efetivo para a empresa, como por exemplo: redução de custos, aumento de faturamento, entre outros.

Nada adianta, portanto, ter criatividade se não inovar. A criatividade é a capacidade de criar novas ideias, quando a inovação é colocar as ideias criativas em prática, gerando valor, ou seja, quando ela se torna realidade e traz resultados efetivos para a organização.

Porém, a inovação não acontece do “nada”!

Ela precisa ser desenvolvida, estimulada e cultivada dentro da organização, através de seus colaboradores, sendo importante o destaque de alguns pontos para que isso aconteça, conforme descreve Pelizari (2019, p. 11):

Diversidade: Quando se pensa em um ambiente inovador, a diversidade toma outras dimensões, já que a inovação só irá existir em um ambiente com espaço para o diferente, onde aquilo que é “tema” controverso ou contraditório deverá ser estimulado e discutido ao invés de afastado ou ignorado. Importante destacar que é um estímulo fundamental à inovação, um ambiente de trabalho composto por diferentes olhares, crenças, comportamentos e opiniões, sendo possível assim, desenvolver estratégias cada vez mais assertivas para as soluções organizacionais.

Ambiente: Para desenvolver um ambiente inovador, é necessário a quebra de barreiras, hierarquias e paredes, sejam estas físicas ou mentais, entre os diversos níveis hierárquicos, pois quanto maior a proximidade entre as pessoas, desde o líder até o colaborador de início de carreira, maior a chance de conexão entre todos da organização que falam a “mesma linguagem”, compreendendo assim, as reais necessidades de mudanças organizacionais, gerando um ambiente mais seguro, acolhedor e honesto, onde as soluções são buscadas constantemente, sempre com empatia para resolver os problemas encontrados e diagnosticados no decorrer do “caminho”.

Entrosamento: Com o Home Office cada vez mais ganhando força devido ao momento global de pandemia que se vive, é importante quebrar a distância que ocorre por esta forma de trabalho, pois muitas pessoas acabam ficando desconectadas do ambiente organizacional e de certa forma, acabam por “esquecer” o foco e os objetivos até então traçados. Por isso a importância de garantir meios de comunicação eficazes para os colaboradores, para que os mesmos se sintam como parte da empresa, sendo que isso também é uma forma de desenvolver e estimular o processo de inovação.

Descompressão e Criatividade: É fato de que, enquanto as pessoas não saírem da rotina diária, não conseguirão abrir a mente para o processo de inovação. Muitas vezes aquela ideia que surgiu em um café com os amigos, ou até mesmo em um momento de descontração em família, acabe florescendo e se concretizando quando se está “fora” da rotina ou do operacional, seja em uma sala de descanso; ou praticando atividade física ou num simples bate papo descontraído. Essa quebra de rotina proporciona o estímulo de novos pensamentos, ideias e soluções, porém, “se a empresa quer estimular o surgimento de soluções inovadoras, precisa construir condições ambientais que estimulem novas maneiras de ver, sentir e pensar” (Pelizari, 2019, p. 12).

Incentivos e Recompensas: Pelizari (2019, p. 12), descreve que:

A questão financeira também é muito importante. Prêmios em dinheiro, bônus, stock options, entre outros mecanismos de reconhecimento, sempre serão grandes incentivos para “reconhecer” em curto prazo alguma nova ideia ou ação inovadora que gerou ganhos ou economias para as empresas. No entanto, atrelar a inovação a reconhecimentos financeiros individuais, apesar de ser uma boa ferramenta, pode ser, em alguns casos, um desserviço para a inovação. A melhor forma de incentivar e recompensar os colaboradores para promover um real ambiente de inovação é fazer com que todos se sintam parte integrante do processo, gerando um ambiente de estímulo e não de ameaça para as novas ideias. Assim, o ideal é que as ideias sejam reconhecidas como um projeto coletivo, em que a contribuição e a construção coletiva façam realmente a diferença e gerem um resultado exponencialmente melhor do que ações individuais.

Oliveira (2018), também elenca os pontos importantes para desenvolver o processo de inovação dentro da organização, sendo:

   Feedback e diálogo: É importante abrir espaço em reuniões corporativas onde todos possam participar com suas opiniões e ideias, e é muitas vezes neste momento que surgem as ideias inovadoras. Não esquecendo que o feedback é uma ferramenta importante no processo de inovação, onde o colaborador terá um retorno do seu trabalho, de uma vez que é importante destacar os pontos fortes de cada um, sempre buscando valorizar suas qualidades, e nunca “exaltar” o erro, pois o erro quando identificado precisa ser “corrigido” de forma que o colaborador não tenha medo de errar, mas ao contrário, consigam em conjunto desenvolver uma solução para evitá-lo. Isso gera empatia e confiança.

    Ações criativas: Estas podem ser através de palestras, eventos, Webinars e Lives, sendo que é importante também, neste contexto, a organização reconhecer os “bons” colaboradores, pois é uma forma de inspirar os demais membros da equipe.

   Uso de ferramentas tecnológicas: A organização pode utilizar de plataformas online para estimular a interação, comunicação e diálogo entre os membros da equipe de trabalho, bem como, os seus treinamentos. Isso faz com que as pessoas fiquem mais próximas em busca dos resultados e objetivos traçados.

Importante destacar que estimular a criatividade e inovação entre os colaboradores é uma iniciativa que deverá partir da organização, pois juntos, empresa e colaboradores, geram novas oportunidades e “incentivam” toda a equipe a encontrarem novas ideias e soluções.

Assim, observa-se que atualmente, incentivar, desenvolver e encorajar essas capacidades entre os colaboradores a tomarem decisões cada vez mais criativas, não é um

“diferencial”, mas sim, uma exigência de mercado e é peça chave para o sucesso das organizações que buscam melhorias contínuas e valorização de sua equipe de trabalho.

Referências:

Disponível em: https://www.educamaisbrasil.com.br/educacao/noticias/como-estimular-a-cultura-de-inovacao-no-ambiente-corporativo. Adriele Oliveira. E+B Educação. Como estimular a cultura de inovação no ambiente corporativo? Publicado em 29/11/2018. Acesso em 26.05.2021.

Disponível em: https://www.ideianoar.com.br/criatividade-e-inovacao-como-promover-a-inovacao-dentro-da-empresa/ Carol Kuviatkoski. Criatividade e Inovação: Como promover a inovação dentro da empresa. Publicado em:17/07/2020. Acesso em 26.05.2021.

PELIZARI. Flávio. Fazer a Diferença: O que fazer para estimular a inovação no ambiente corporativo. Revista Melhor Gestão de Pessoas. Editora Segmento.  Ano 27. Número 375. Março 2019. Páginas 11 e 12.

CategoryArtigos
        

© 2020 por Puxavante

PHMP Advogados OAB/SC 1.029

logo-footer

47 3084 4100

Rua Olívio Domingos Brugnago, 125

Vila Nova - CEP 89.259-260 - Jaraguá do Sul - SC